Bolo indiano é primo do bolo de churros?

bolo_indiano-3-1

A primeira vez que comi bolo indiano foi há alguns anos quando um colega levou para um lanche no trabalho. Achei delicioso! Doce, mas bem delicioso. Passei a comprar na padaria sempre que encontrava. Sabe Deus por que cargas d’água, na época eu não me interessei muito em procurar uma receita. Não lembro se achei que era difícil… talvez por se tratar por um bolo indiano, sei lá, imaginei que tivesse ingredientes complexos. Enfim… o tempo passou, a Terra deu algumas voltas em torno do Sol e agora que estou mais destemida me deu vontade de aprender a fazer esse bolo, que há tempos não comia.

Além de pesquisar a receita, fui pesquisar a origem e história do bolo indiano, pra ver se é algo típico na Índia. Que decepção! Não pelo bolo, que é delicioso, mas por ver que talvez de indiano ele só tenha o nome mesmo. Será que só por ter canela já vale o nome? Sei não… Pra mim é praticamente um primo não tão distante do bolo de churros, que ganhou o nome por ter canela e doce de leite. O que vocês acham? E se tiverem alguma pista da história dele, vou adorar saber.

Caraminholas à parte, o que o indiano tem de mais diferente, que chama a atenção, é o uso de farinha de rosca no lugar de farinha de trigo, o que dá uma textura um pouco mais leve. Pelo menos foi a minha percepção. Nas minhas pesquisas, vi que praticamente todas as receitas de bolo indiano são iguais ou pelo menos muitíssimo parecidas. Entretanto, com minha mania de ler os comentários nos blogs, percebi que algumas pessoas se queixavam que a massa ficava seca. Então, fiz minhas adaptações. Farei outras (mais indianas… aguardem!), mas por enquanto a receita testada e aprovadíssima aqui em casa é assim:

6 ovos

100g de manteiga em temperatura ambiente

1 1/2 xícara de açúcar (usei cristal, mas pode ser mascavo)

1 1/2 xícara de farinha de rosca

1/2 xícara de leite

1 colher (sopa) de fermento em pó

1 colher (chá) de canela em pó

1 pitada de noz moscada

Bata a manteiga com o açúcar até ficar um creme claro e homogêneo. Adicione as gemas e bata mais um pouco. Em seguida, adicione o leite, mexa um pouquinho para misturar e coloque os demais ingredientes secos (farinha, canela, noz moscada e fermento), mexendo apenas para incorporar. Por fim, adicione aos poucos as claras em neve, misturando delicadamente. Mais na frente, vocês vão ver que o recheio leva duas gemas. Então, se não tiver outro uso para as claras, acredito que juntá-las às outras seis da receita da massa não vai prejudicar em nada. Assim, ficam oito claras em neve. Asse o bolo em forno pré-aquecido a 180°. Para ver se está no ponto, só fazer o teste do palito. Saiu limpinho, está pronto!

Só não contei ainda pra vocês que o grande tchan do bolo indiano está na combinação dessa massa com o recheio e cobertura. Deixei o melhor para o final!  Para o recheio e cobertura, vocês vão precisar de:

1 lata de leite condensado

2 gemas

1/2 xícara de leite

1 colher de manteiga

Basta levar ao fogo baixo e mexer pacientemente até o ponto de brigadeiro mole. Eu tiro as peles das gemas para não ficar com aquele cheiro de ovo. Ah… misture as gemas com o leite condensado antes de levar ao fogo. Fica a dica! ;-)

Vi que algumas receitas levam canela nesse doce. Eu preferi fazer sem e apenas salpicar canela por cima para enfeitar.

Não faça como eu, que estava avexada para fotografar e experimentar esse pedaço de mau caminho, e espere tanto a massa como o recheio esfriarem antes de rechear e cobrir o bolo.

Já vou fazer uma advertência… Impossível parar no primeiro pedaço!

bolo_indiano-2-1 bolo_indiano-4-1

Se fizerem, nos contem como ficou, se gostaram. Se fotografarem, nos mostrem! Só marcar a gente no Instagram (@temlaranja). Adoramos ver quando vocês fazem as receitinhas que compartilhamos por aqui. :)

{Ana}

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>